16
Outubro

Peeling com ácido retinoico


Por: Fisioterapeuta Tatiane Spina Ramos
O ácido retinoico é indicado para acelerar a renovação da epiderme.

Os peelings realizados com ácidos (que possuem um pH inferior ao da pele), ao entrarem em contato com a pele transformam-a em uma região ácida, causando uma esfoliação, que resulta na destruição de partes da epiderme e/ou derme, seguida da regeneração dos tecidos epidérmicos e dérmicos.

Na fisioterapia dermatofuncional são usados ácidos que tem como características atingirem o estrato córneo (peelings superficiais) e epidérmicos (superficiais).

O ácido retinóico tem ação esfoliante em nível celular, é queratolítico, estimula a síntese de colágeno novo.

É indicado para acelerar a renovação da epiderme. É usado no tratamento da acne, previne a formação de comedões, usado no tratamento de estrias, em melasmas e quando há a hiperqueratose (espessamento da camada mais externa da epiderme, geralmente causado por deficiẽncia da vitamina A, por exemplo, dentre outras causas). 

Normalmente utiliza-se concentrações de 1% a 10%, inicialmente com concentrações menores, aumentando gradativamente, se necessário.

Podem ocorrer eritema e descamação. 

A aplicação pode ser feita semanalmente ou com intervalos maiores, aplica-se na pele preparada e desengordurada deixando o produto agir por 4 a 6 horas e lava-se posteriormente com bastante água corrente. Os cuidados pós ácidos são hidratantes específicos de acordo com o tipo de pele e o uso de fotoprotetor diário.

Os ácidos podem ser associados nos tratamentos com o Ematrix, Microdermoabrasão como o Peeling de Diamante, desta forma são excelentes recursos nas disfunções estéticas, pois promovem a revitalização facial, suavização de cicatrizes, rugas superficiais, para manchas hipercrômicas superficiais - melhora a coloração no clareamento das manchas escuras, diminuição da oleosidade da pele. 

Experimente! Marque sua avaliação, estamos esperando você!

Tags: Peeling com ácido retinoico