04
Dezembro

Peeling enzimático


Por: Fisioterapeuta Bruna Soares
O peeling enzimático promove uma renovação celular agredindo o mínimo possível do tecido.

Entramos no mês de dezembro, mas ainda dá tempo de começar o ano com uma pele vistosa e iluminada. Dentre os peelings, o enzimático comparado ao físico e ao químico é o que promove uma renovação celular agredindo o mínimo possível o tecido. 

Neste procedimento são utilizadas máscaras faciais com ativos de base natural, ou seja, enzimas biológicas, com efeito abrasivo esses ativos irão atuar na camada mais externa. Como resultado há uma diminuição da espessura, uma melhora da textura, viço e brilho da pele. 

Normalmente utilizamos a bromelina (enzima existente no abacaxi), extrato de maçã, entre outras. 

Como este é um peeling bem seguro e superficial indicamos para peles mais sensíveis ou como forma de finalização do peeling físico (peeling de cristal, diamante e ultrassônico). 

Agende seu horário na Estética Los Angeles. 

Tags: Peeling enzimático
28
Marco

O que é peeling enzimático?


Por: Fisioterapeuta Bruna Soares
Peeling enzimático é o procedimento em que há renovação celular sem agredir o tecido.

É um procedimento em que há renovação celular sem agredir o tecido. No procedimento de peeling enzimático são utilizados ativos de base natural, no caso enzimas biológicas, que possuem efeito abrasivo sobre a camada mais externa.
Como efeito ela reduz sua espessura, melhorando a textura e promovendo a renovação celular. Geralmente as enzimas mais usadas são a bromelina (do abacaxi), a de maçã, entre outras.
Esse recurso é uma alternativa para peles mais sensíveis. Como o peeling enzimático é mais suave e não é agressivo, ele pode ser realizado em qualquer parte do corpo e do rosto que necessite de melhora de textura, renovação celular, clareamento, hidratação, entre outros.
No pós-tratamento é importante o uso de filtro solar e os demais cuidados já citados em posts anteriores.

Tags: Peeling enzimático